20070711

Que,,,


Que voz lunar insinua

o que não pode ter voz?


Que rosto entorna na noite

todo o azul da manhã?


Que beijo de oiro procura

uns lábios de brisa e água?


Que branca mão devagar

quebra os ramos do silêncio?


Eugénio de Andrade, Antologia Breve
Imagem (C) Alfred Gockel

11 comentários:

oceanus disse...

As palavras..."quebram os ramos do Silêncio?"

as tuas palavras são muito belas...

Beijinhos do fundo do Oceanus

Bichodeconta disse...

Lindo, parabéns.. Voltarei aqui com mais tempo para o ler..Tem muita qualidade e sentido de humor, uma coisa que escasseia...Um abraço, Ell

avelaneiraflorida disse...

Oceanus,

as palavras são do meu querido EUGÈNIO de ANDRADE de quem eu amo TODAS AS PALAVRAS!!!!

POr isso elas estão aqui...

Bjks

avelaneiraflorida disse...

Bichodeconta,

Bem Vinda!!!!!!

Este cantinho está sempre esperando quem quiser passar...

Breve, farei uma visita...
Bjks

Mário Margaride disse...

Olá,

Obrigado pela visita ao meu cantinho, e por gostares dos meus poemas.

Será sempre um prazer receber-te em "minha casa".

Belo! Este poema de Eugénio de Andrade.

Beijinhos

avelaneiraflorida disse...

Mário Margaride, BEM VINDO!!!!

Através do Papagueno passei a conhecer a sua poesia!!

Gostei...e ...vou ser visita constante, pode ter a certeza!!

Bjks

papagueno disse...

Uma bela imagem para o nosso grande eugénio.
Beijinhos

avelaneiraflorida disse...

EUGÈNIO é uma das minhas paixões!!!

Devo tratá-lo bem, não????

Bjks

Méon disse...

Que bom, aqui fala-se de LITERATURA!

( Como é que há gente que anda preocupada com os reforços futebolísticos?...)

avelaneiraflorida disse...

Eh, lá!

Eu preocupo-me...com reforços!!!!

Preciso urgentemente de estantes e prateleiras para substituir as pilhas de livros que se erguem do chão a alturas já periclitantes!!!!!

papagueno disse...

Claro que sim, Avelaneira, sempre!
Beijinhos