20070719

ALEGRAI-VOS

Alegrai-vos com as flores que embriagam,
as que estão nas nossas mãos.
Que sejam colocados já
os colares de flores.
As nossas flores do tempo da chuva,
fragantes flores,
abrem as suas corolas.
Por ali anda a ave,
tagarelando e cantando,
ela que vem conhecer a casa do deus.
Só com as nossas flores
nos alegramos.
Só com os nossos cantos
perece a vossa tristeza.
Oh senhores, com isto,
o vosso desgosto se dissipa.
Inventa-as o Dador da vida,
fê-las descer
o inventor de si mesmo,
flores joviais,
com elas o vosso desgosto se dissipa.




Quinze Poetas Aztecas ( Antologia Poética)

trad. José Agostinho Baptista

Imagem (C) Diego Rivera

4 comentários:

Vieira Calado disse...

Lindos poemas, os desses irmãos aztecas.

avelaneiraflorida disse...

Descobri, só agora, os poemas...embora lhes pressentisse o encanto por outras leituras!!!

O seu apego e respeito pela Natureza são iemnsos!!!! Daí lhe reconhecerem a SABEDORIA!!!

Ema Pires disse...

...flores do tempo da chuva! Lindos poemas, diferentes dos que se escrevem por aqui mas como mais simbólicos.
Beijinhos

avelaneiraflorida disse...

Talvez porque cada vez mais nos afastamos do mundo físico, da terra, das pedras, da água...da Mãe Natureza!!!