20051228

Navio de Espelhos

O navio de espelhos
não navega, cavalga

Seu mar é a floresta
que lhe serve de nível

Ao crepúsculo espelha

sol e lua nos flancos

Por isso o tempo gosta
de deitar-se com ele

Os armadores não amam
a sua rota clara

(Vista do movimento
dir-se-ia que pára)

Quando chega à cidade
nenhum cais o abriga

O seu porão traz nada
nada leva à partida

Vozes e ar pesado
é tudo o que transporta

E no mastro espelhado
uma espécie de porta

Seus dez mil capitães
têm o mesmo rosto

A mesma cinta escura
o mesmo grau e posto

Quando um se revolta
há dez mil insurrectos
[...]
Mário Cesariny, A Cidade Queimada

20051227

Qualquer coisa de novo....

Imagem (c) Tim Burton's Film

Preciso urgentemente!!!
Novo diferente, mesmo! Estranho, insólito!

Qualquer coisita, até insignificante.
Que me faça rir sem parar!!!
Que me deixe sufocada, parada de emoção aos tropeções!!!!! Mas... QUALQUER COISA.
Small.Medium or BIIIIIGGGG!!!!!!

20051226

no período pós prendas..

A sugestão de ver, e rever, todas as meia-noites em que fomos simplesmente felizes... sem data obrigatoriamente marcada...
Com Shakespeare, sem ele, sem fadas duendes mutantes e afins, mas com toda a imaginação que anda adormecida cá dentro...

20051223

Pai natalices...


Lapónia ....renas...neve...abetos... OK!!!!!
Velhote de barbas....ho ho ho... trenó!!!!!
festarolas...beijinhos a rodos...doces cheios de colesterol!!!!

Se isto fosse mesmo verdade, durava os restantes 364 dias não era?????????????




(C) O Münch só tinha mesmo esta disponível
para me emprestar....

20051222

Estou numa de sondagens...


1ª Pergunta insidiosa: se eu me acho brilhante, porque tenho de saber se há outros melhores do que eu???
2ª Pergunta objectiva: Que parte de mim é que vou valorizar na sondagem?????
3ª Pergunta manipuladora: se me fizerem perguntas só a mim terei possibilidade de oposição????
4ª Pergunta estatística: de quantas perguntas preciso para ter a certeza de que vou ganhar????
5ª Pergunta fantástica: Além das sondagens, que outros truques posso usar para me convencer???
6ª Pergunta melíflua: Se alguém souber que me vão sabotar, gostaria de ser previamente avisada.Tenho tudo preparado!!!!!
7ª Número muito em voga: podem pedir-me autógrafos e beijinhos para todas as dermes e epidermes.Faço descontos em caso de t-shits demasiado sebentas. De momento não faço tatuagens, contraí herpes...

Imagem emprestada pelo VITRUVIO ao Homer, que ma emprestou a mim!!!!

20051221

Falaram-me de amor

Quando um ramo de doze badaladas

se espalhava nos móveis e tu vinhas

solstício de mel pelas escadas

de um sentimento com nozes e com pinhas,

menino eras de lenha e crepitavas

porque do fogo o nome antigo tinhas

e em sua eternidade colocavas

o que a infância pedia às andorinhas.


Depois nas folhas secas te envolvias

de trezentos e muitos lerdos dias

e eras um sol na sombra flagelado.

O fel que por nós bebes te liberta

e no manso natal que te conserta

só tu ficaste a ti acostumado.


(C) Natália Correia





>

20051220

A minha margem...

Imagem (C) JOIE

Tacteio.Distâncias sobrepõem-se.
Olho.Cores volatilizam-se.
Aspiro.Aromas liquefeitos.
Ouço. Palavras murmuradas.
Vejo. Vejo-me.Alcanço-me...

20051219

Dezembro!!!!

Imagem retirada do Google
Reencontrei, hoje, uma jovem que só recordava de tranças e aparelho nos dentes!!!
Uns olhos luminosos respondiam a todas as perguntas. Nada era necessário verbalizar!!
A Felicidade em toda a dimensão da juventude!
Senti-me recompensada, egoisticamente recompensada.
Quando se despediu,
deixou-me este imenso sorriso que não consigo tirar do rosto...

20051218

Voluntariamente... NATAL!


Imagem (C) TOLLA

Aproximamo-nos de mais um tempo em que as hiprocrisias deslizam para dentro de embrulhos...
A solidão ganha contornos de peçonha bem negra!
As aparências tecem imensas,e coloridas, luzes enfeitiçadas, logo ao virar de cada esquina.
De repente, todas as mãos se reconhecem no calor, no toque, na proximidade!!!!
Ganham som, palavras nunca ditas e afastadas na distância do espaço e do sentir!
Fazem-se convites, afavelmente solidários, para resgatar consciências há muito empedernidas ...

Mas há quem guarde em si a simples generosidade de dar, sem saber...
sem olhar, sem querer que os outros vejam!!!! Que se desprende das horas, dos dias, do tempo, para que outros lhe aspirem a esperança, lhe sugem uma réstia de consolo, lhe gastem a brevidade de um sorriso...
Esses, os transparentes da vida, não marcam dias no calendário.Estão em todos os tempos, do tempo. Presentes.Anónimos.Voluntários.Simplesmente, dando-se...
Quem, como eu, não tem coragem para os imitar,
só lhes pode sussurar:

BEM HAJAM!!!

20051216

20051215

Winter Nights


















Imagem (C) Kelly Ann Thomas

20051212

20051210

Momento

Imagem (C) Godward

O tempo urge. Passado o momento, tudo volta a ser único e diferente.
Aqui. De repente, a vontade ganha cor!
O tempo urge...

20051209

Imagine

Imagem(C) Oleg Zhivetin

You may say

I'm a dreamer

But I'm not the only one..

Lyrics by John Lennon

20051207

20051206

Melancolia


Fonte dos Amores

Longamente esperei.
Nenhum encontro estava combinado.
Era apenas fiado
Na intuição do amor
Que confiava.
Afinal, não vieste.
E adivinho o motivo:
O lume da velhice não aquece.
Arde e parece
Vivo,
Mas arrefece.

Miguel Torga, Poesia Completa

20051205

Névoas

Imagem (C) Wendy D
Estes dias são de névoas... de brumas espessas! E, ao longe, nascem reflexos do dia.
Presságios! Sinais!!! Memórias perdidas e reencontradas.
Pedaços de sombras dispersas. E para lá de todas as incertezas...o peso inquebrável do silêncio!!

20051204

Inconstância









Gostava de acreditar que estarias sempre junto de mim...





Imagem (C) Warwick Goble

20051203

A bela adormecida...ao contrário!!!!!

Imagem(C) Warnersbros.com
Esta sim! uma história de encantar!Está viva ...e recomenda-se!!!!! Apetece rever vezes sem conta...e voltar sempre como da primeira vez!!!!!!!

20051201

Dunas


Areia velha, cansada
De movimento.
Sempre jovem, o vento
Passa num desafio.
Mas só deixa,adivinhada,
A sombra dum arrepio
Na sonolência ondulada...

Miguel Torga, Poesia Completa

Imagem (C) Stephen S

20051130

Manhã de Novembro

Imagem (C) Dale H

E a saudade daquela água antiga invadiu-me, de repente. Daquelas toalhas de linho com monogramas de noivas passadas... Aquelas manhãs de frio condensado em fiapos pelas janelas. Aquela água que me limpava dos uivos, do lobo, dos medos da noite interior...

20051124

O meu lado Fiona!


Estou cada vez mais convencida que o meu lado Fiona se está a vincar. A ganhar uma imensa força!
Um dia destes se acordar verde já não me admiro! O mais dificil é habituar-me a essa "espécie " de cor...
Se mais alguém tiver uma daquelas ideias geniais para nos impingir... eu solto o meu grito de guerra!!!
Não vai haver Farquad que me faça frente!!!!









Não estraguem o restinho de magia que me resta!!!!!

20051123

Os meus sentidos...










Imagem(C) Aspin-1825





Divergentes...opostos.Não!
Regressando a mim.

20051118

Estamos aqui...estamos entregues aos bichos!

Com estas ideias mirabolantes, um dia destes ainda nos colocam em jaulas e nos põem a fazer habilidades para turista ver!!!!
Depois elaboram um relatório meticuloso, todo enfeitado de choques tecnológicos, e enviam-no para todas as agências noticiosas desta aldeia global!!!!
Convidam uns tantos "crânios" ultra sapientes, oferecem uma mistela de honra e uns petits fours E564, e muitos flashs depois ...cada um regressa a penates para descansar de mais um dia stressante, não sem antes verificar, no carro pago com motorista às ordens, se as fotos estão mesmo nas primeiras páginas!!!!
Com um bocadinho de sorte, nós, a esta altura ainda estamos na jaula...porque alguém nos trancou a cadeado e, com a pressa de ir ver o reality show, ...deitou fora a chave!!!!!!!!
Pergunto eu, para as grades da minha jaula: porque escolheram logo esta ministra????E como até aprendi qualquer coisa, no passado, na minha escola, com bons professores...ouço-me a dizer:
" E as crianças, senhor, porque lhes dais tanta dor? Porque padecem assim?!!!!!!"

20051114

20051113

Gota d'água

Era assim Chico Buarque
em 1975...


Já lhe dei meu corpo, minha alegria
Já estanquei meu sangue quando fervia
Qlha a voz que me resta
Olha a veia que salta
Olha a gota que falta
Pro desfecho da festa
Por favor

Deixe em paz meu coração
Que ele é um pote até aqui de mágoa
E qualquer desatenção faça não
Pode ser a gota d'água

Imagem (C) KATIE S

20051112

Para ler. E reler...

Imagem(C) A.Kiefer


Conseguiu fabricar óleo de flores de urtiga branca e grãos de agrião e uma água com casca fresca de sabugueiro e ramos de teixo[...]
Destilou latão, porcelana e cabedal, grãos de cereais e seixos. Destilou terra e em vão. Sangue, madeira e peixe fresco. Os seus próprios cabelos.
in O Perfume - P. Süskind

20051111

Hoje há AROMAS no ar...






Os vinhos ganham vida! Perfumam o ar das velhas adegas e desafiam os sentidos.
O sol retido nos cascos de madeira, nas garrafas adormecidas, desprende-se numa dança de intensos reflexos, adornando sorrisos e despertando sabores...
Como numa dança, eterna, repetida, retorcendo-se em espirais que relembram as vides, natureza mãe e cálice inicial...

Imagem(C) Yuroz - Taste my wine

20051110

Dias de espera...

Imagem (C) A. Kiefer

Esta espera imensa...repetida.
Tão insolúvel na distância!

20051106

As mulheres que há em mim

Ao ler o romance de Marie de la Pau Janer quase acreditamos que a personagem Carlota é o centro de tudo! Não é ela, como o não são as outras duas mulheres, sua avó e sua mãe, que ela julga continuar...
Não.o centro de tudo é a India!!! Misteriosa e dramática!!! presa no destino de Ramon.Ele sim, principio e fim. Ele, força impulsionadora e impulso de si próprio.Viajante da procura, da memória e do esquecimento!São os seus pés descaiços que pisam, que sentem a pedra do Taj Mahal...
Círculo perfeito do Amor!

20051101

E de súbito...uma imensa e estranha saudade!


Abri o armário, estavão lá todos os vestidos! Esperando que a mão lhes tocasse.Guardando restos de perfume, enovelando memórias de outros dias. Felizes! A cheirar a novo. A cheirar a vida! Presos no tempo .
De manso toquei-lhes! As flores, desabrocharam-me nas mãos abandonando-se à descoberta! Pequenas rugas, saliências de si próprias, subitamente revelaram-se e descobriram segredos daquela textura de crepe. Nova! Diferente dos meus algodões macios e ingénuos. Como uma festa de fantasias.Uma prenda por abrir...
Num impulso tirei-os das cruzetas de madeira! Soltos, pareceram perder aquele mistério que os tornavam tão distantes! Aninharam-se uns sobre os outros numa mistura de cores e texturas. Como uma imensa mancha de primavera a meus pés! o armário pareceu subitamente escurecido e mais triste! O espaço, agora vazio de cor, pedia-me que o deixasse quieto. Com cuidado fechei a porta. O enorme espelho ficou na minha frente desafiando-me!
E peguei neles, um por um, com a ponta dos dedos. Coloquei-os à minha frente. Olhei. Mesmo com toda a minha boa vontade arrastavam-se pelo chão. Estreitavam-se demasiado na cintura. E até aquele cheiro doce parecia ter-se dissolvido no ar...
Apenas o de crepe se me agarrava às mãos. As flores pareceram mais rubras no seu leito de cinza marfim.As pequenas fitas de cetim ganharam matizes na luz do dia. Como um afago, suave, como talvez as tuas mãos, que não conheci, o foram!
Colou-se-me como uma pele nova e diferente! Menina feita mulher!Passado e futuro numa intersecção frágil do momento! Ganhei coragem para olhar o espelho! Com toda a força desejei ver-te! Abri muito os olhos...
e não estavas lá!

20051029

Há amigos que estão sempre presentes!!!


Árvores intensas Casas de trapo
Chilreia a chuva Coxeia a cama
Frutos votivos Cal calejada
Ponte romana
Luiza Neto Jorge, Poesia

20051025

demasiada tensão...



Imagem© Albert renger-Patzsch

Mais dia menos dia acabo assim...
(e não vão ser necessários Decretos-Lei nem Portarias)

20051024

Para peregrino


A bailarina russa

Uma bailarina russa que tinha sessenta anos e ensinava dança pelas escolas, foi seguida por um jovem, seduzido por sua figura esguia e arrebatadora.
Para não ser alcançada, correu até casa e, ofegante, fechou-se no apartamento. A filha jovem interrogou-a sobre o sucedido.
" Uma coisa extraordinária", responde a velha mãe. "Um rapaz seguiu-me e eu não quis que descobrisse meu rosto para não o desiludir com a minha idade. Vê pela janela se ele ainda está no passeio".
A filha foi à janela e, sobre a estrada, depara com um velho que olhava para cima.
Tonino Guerra, Histórias para Uma Noite de Calmaria ( trad. de Mário Rui de Oliveira)

Words...

you locked your heart
you wake up with tears and stars in your eyes
you gave it all to someone that
cannot love you back

your days are packed
with wishes and hopes for the love that you've got
you waste it all to someone that
cannot love you back

someone that cannot love

love, ain't this enough?
you push yourself down
you try to take confort in words
but words
they cannot love
don't waste them like that
cus they'll bruise you more

you secretly made
castles of sand that you hide in the shade
but you cannot hold the tides that break them
and you build them all over again

you talk all these words
you make conversations that cannot be heard
how long until you notice that
no one is answering back

someone that cannot love

Love, ain't this enough?
you push yourself down
you try to take confort in words
but words
they cannot love
don't waste them like that
cus they'll bruise you more

Love, love, ain't this enough?
this pushing around
to find little confort in words
but words
they cannot love
don't waste them like that
cus the'll bruise you more

you know they'll bruise you more
words they willhurt you more
(C) Lyrics by David Fonseca

Imagem(C) P.Horst

E quem nunca amou... que atire a primeira pedra!!!!!!

20051023

Para E.G.


Os três amigos de sempre,
os três amigos de Job,
vieram ver-me.


[...] Miguel Torga, Cantar de Amigo

Imagem (C) P. Horst

Não sei a quantas ando...

Imagem(C) Antonio Saggesse

Neste mundo, uma vida é planeada em função da luz. Uma pessoa nascida ao pôr do sol passa a primeira metade da sua existência de noite, aprende ofícios de interior, como a tecelagem e a relojoaria, lê muito, torna-se um intelectual, come muito, tem medo da escuridão nos espaços abertos, cultiva as sombras. Uma pessoa nascida ao nascer do sol aprende ocupações de ar livre, como a agricultura e a alvenaria, torna-se físicamente forte, não se interessa por livros, nem projectos intelectuais, é alegre e confiante, não tem medo de nada.
Quando há mudança de luz, tanto os filhos do sol-pôr, como os do nascer do sol, passam um mau bocado.[...]
Alan Lightman, Os Sonhos de Einstein


Porque nunca ninguém foi capaz de me dizer a hora exacta em que nasci, divido-me entre o ser e o não ser, metade lua , metade sol, ofuscada na luz e sombreada de escuridão!

20051022

Hoje estou do contra!





Não me apetece e pronto!
Não quero fazer nada!
Não quero pensar!
Nem me imagino a fazer qualquer tipo de esforço!
Nem mesmo tentar o que quer que seja!!!!

Portanto, decreto-me em estado do contra!

Sem oposição, maioria ou o que quer que seja!! ou não seja!!!


Imagem (C)WWW.Asterix.fr

20051019

Um instante de poesia...


A saudade toma forma: pinheiros verdes,
na montanha longínqua que me tapa a vista,
a flutuarem numa névoa
de lágrimas.


Saiónji Sanekane
in Rosa do Mundo, 2001 Poemas para o Futuro


Fazes-me falta velha Lisboa! Sinto saudades das tuas ruas.Das janelas que nos contemplam! Do teu cheiro ao entardecer, mistura de sons e sombras apressadas...
Sinto a falta das certezas que me deste! Dos sonhos que ajudaste a crescer...
Não quero deixar
perder-te em mim!

20051017

Para voltar a ler...

Diz-me do teu rosto empedernido
Conta-me, devagar
De que matéria é a poeira que agora ainda
Assenta nos teus olhos?
O que é que está do avesso?
Escondido, cravado na sombra da memória?

Quantas vezes o rio galgou as margens?
Quantas vezes depois da raiva
Fechaste a porta e tudo desabou?
Ainda lembras? E ao lembrar?
Dói? Abriu-se alguma luz que te cegou?
ou não
[...] Álvaro Domingues, in Publico,12/Out/2005

Reabra-se o jornal e reencontre-se o Adormecimento de Maria Augusta...A redescoberta de um interessante Espaço Público, no meio dos afazeres stressantes, do quotidiano sem tempo, da preguiça modorrenta dos dias!

Imagem (C ) Vania Toledo

20051015

um momento...



Lavando a areia no rio

A mão rolou a pérola para alcançar o gancho de jade,
Como antes a aversão à primavera aprisionou-me de novo no
sótão.
Quem será o mestre da queda da flor no vento?
Penso melancolicamente.

O pássaro azul não transmite mensagem além das nuvens,
As flores de lilás desabrocham em vão no tormento da chuva
Vejo as ondas verdes, através dos três desfiladeiros, no crepúsculo,
Correndo ao encontro do céu.

trad. Li Ching in Rosa do Mundo, 2001 Poemas para o Futuro

Imagem(C) WILMA SLOMP

20051014

Na véspera de fim de semana!!!!

Imagens (C) WWW.asterix.tm.fr

Nada melhor que ficar à espera de uma nova aventura...daquela célebre aldeiazinha gaulesa!!!!!


No fim de semana....aproveitar e partilhar as loucuras da nova AVENTURA!!!

20051013

para T.O.


É frio o vento do norte;
E tomba grande nevada.
Quem por bem é meu amigo,
De mãos dadas vem comigo.
Por toda a parte só pântanos
Só resta, pois, ir depressa.

Zunindo vai a nortada;
E a neve tomba a valer.
Quem por bem é meu amigo,
De mãos dadas, e voltar!
Por toda a parte só pântanos.
Só resta, pois, ir depressa.

Vermelhas só as raposas,
Nem há negro como os corvos.
Quem por bem é meu amigo,
De mãos dadas, já p'ra os carros!
Por toda a parte só pântanos.
Só resta, pois, ir depressa.

Trad. Joaquim Guerra
in ROSA DO MUNDO,2001 Poemas para o Futuro