20080630

Partilhar...


"Qualquer coisa, tudo, pequeno ou grande, se torna uma aventura quando partilhamos com a pessoa certa."

Kathleen Norris
Imagem(C)Yannig Guillevic

20080627

20080625

Sorrisos ...

ao olhar o dia...
Imagem (C) A.Mucha

20080623

A guardar no tempo...


Caresse sur l'océan

Porte l'oiseau si léger

Revenant des terres enneigées

Air éphémère de l'hiver

Au loin ton écho s'éloigne

Châteaux en Espagne

Vire au vent tournoie déploie tes ailes

Dans l'aube grise du levant

Trouve un chemin vers l'arc-en-ciel

Se découvrira le printemps


Caresse sur l'océan

Pose l'oiseau si léger

Sur la pierre d'une île immergée

Air éphémère de l'hiver

Enfin ton souffle s'éloigne

Loin dans les montagnes

Vire au vent tournoie déploie tes ailes

Dans l'aube grise du levant

Trouve un chemin vers l'arc-en-ciel

Se découvrira le printemps

Calme sur l'océan.



Les Choristes

Caresse sur l'océan
Paroles et Musique: Bruno Coulais, Christophe Barratier 2004
Imagem de Google Images

20080622

INTEMPORAL...

"Caresse sur l'océan"
- uma das mais belas canções do filme "Les Choristes" e com um solo impressionantemente belo...
INTEMPORAL

20080621

Um outro tempo...


[...]

Tiro o meu escudo da sela e meto o braço na braçadeira; depois desembainho a espada e volto-me para a ponte. Sir Wolf já desmontou e está à minha espera. Está um bonito dia de Outono e as árvores esticam os seus ramos nus para aproveitar o sol derradeiro.É curioso, tenho a sensação de que o mundo parou e de que posso apreciar tudo ao mesmo tempo com uma minúcia extraordinária. As copas despidas das árvores, as sombras alongadas da tarde, o melro de bico vermelho que espreita a cena pousado no parapeito, as águas frias e revoltas do rio, os peixes que cintilam entre as espuma, a Dama que franze a boquinha para cuspir um caroço da sua refeição, o inquieto bater de patas do meu cavalo, o assobio lento e cauteloso da armadura bem oleada do meu rival.

Subitamente a voragem [...]


Rosa Montero
in História do Rei Transparente

20080620

Tempo...


[...]


Imaginem um mundo em que as pessoas não vivem mais de um dia.(...)Neste mundo, ninguém vice o tempo suficiente para assistir à mudança das estações.(...) Uma pessoa nascida em Dezembro vive uma vida de frio. Do mesmo modo, uma pessoa nascida em Julho nunca sentirá um floco de neve cair-lhe no rosto, nunca verá a superfície vidrada de um lago gelado, nunca ouvirá o ranger das botas a trilhar a neve. Uma pessoa nascida em Julho vive uma vida de calor. [...]


Alan Ligthman
in Os sonhos de Einstein
Iamgem(C) retirada de Google Images

20080619

Instante...

E a vida sorri...
Imagem (C) recebida por mail
sem indicação de autor

20080618

A exegese de um sentimento


Estão os pássaros laboriosamente construindo

em meio deste dia as paredes de uma tarde antiga.

Começa-lhes no bico aquela alegria

onde eu corria de canto para canto

e andava dentro dela de janela em janela.


Quem me trouxe de novo até à minha casa?


Podem calar-se os pássaros inúteis.


Ruy Belo
in Todos os Poemas I
Imagem (C) Evelina Oliveira

20080617

20080616

Caracol


Numa praia encontrei um caracol de ouro,

maciço e recamado das pérolas mais finas;

tocou-o Europa com suas mãos divinas

quando foi pelas ondas sobre o celeste touro.


A meus lábios ergui o caracol sonoro

e suscitei o eco das dianas marinas;

levei-o a meus ouvidos e tantas azuis minas

contaram-me em voz baixa seu secreto tesouro.


Assim me chega o sal dos ventos tão amargos

que em suas veias plenas sentiu a nave de Argos

quando amaram os astros o sonho de Jasão;


e oiço um rumor de ondas e um incógnito acento,

um ondular profundo e um misterioso vento...

( o caracol a forma possui de um coração).


Rúben Darío
in Rosa do Vento 2001 Poemas para o Futuro
trad. José Bento
Imagem (C) Google Images

20080615

Destino




Começa um rio numa gota de água.

O sonho é que avoluma o corpo da nascente.

Fonte:

Tão delicada, e hás-de ser torrente

A saltar fragas e a rasgar o monte.


Miguel Torga
in Poesia Completa
Imagem (C) Rebecca Hardin

20080613

Recordar a tradição...


Quem nasceu em Lisboa e nunca saltou a fogueira na noite de Santo António????

E por entre risos descrentes ou desdéns dissimulados não queimou uma alcachofra para nela descobrir a resposta que o coração pedia???


Noite de festejos lisboetas...

Tradição cheia de recordações.

20080611

Arte e Água...


A Criatividade na perfeita conjugação dos elementos!
Imagens recebidas por Mail,
"Brigados", Méon!

20080610

Pelos cabelos...



ou
como a cabeça não serve só para usar em cima dos ombros!!!!!

Imagem(C) Architect'07
Fair Thai temple hair


20080609

A LER...


Acabado de sair!!!!!
Mais uma visita ao mundo fantástico da TRACY CHEVALIER...

20080608

FOTOGRAFIA

Para visitar o mundo de Chema Madoz...






Agradeço ao António Pinto/ António Maria...
a descoberta destes olhares!!!!
Imagens(C) Chema Madoz

20080607

Meme

A Querida Ema no seu BAOBAB deixou-me um desafio e , ao mesmo tempo, uma manifestação de Amizade, que muito agradeço.

Devo, pois, procurar definir-me em seis palavras numa“muito curta” biografia (há quem opte por um conceito) e pode-se dar-lhes ênfase com uma imagem.
Deve colocar-se o link para quem nos desafiou e a nós compete-nos desafiar cinco blogues, avisando-os deste mesmo convite.


E são elas:

AZUL: a minha cor do sentir.
ÁGUA: a minha sede permanente; a minha vida.
MEDIEVAL: o meu reino.
AMIGOS a minha razão de partilhar.

MENINOS: os meus, os/as "besouros(as)" que têm sido a razão da minha vida profissional.

Q : A QUE ME ENCHE O CORAÇÃO!!!!


Deixo, agora, o repto a:




e a todos os Amigos que aqui se quiserem sentar...nesta MESA!!!!

Imagem(C) Ruth Sanderson

20080606

Deixa-me dar-te o verão




O verão é feito de coisas

que não precisam de nome

um passeio de automóvel pela costa

o tempo incalculável de uma presença

o sofrimento que nos faz contar

um por um os peixes do tanque

e abandoná-los depressa

às suas voltas escuras


José Tolentino Mendonça
in A Noite Abre Meus Olhos
Imagem(C) Donnalee Dunne

20080604

To a green god


Trazia consigo a graça

das fontes quando anoitece.

Era o corpo como um rio

em sereno desafio

com as margens quando desce.


Andava como quem passa

sem ter tempo de parar.

Ervas nasciam dos passos,

cresciam troncos dos braços

quando os erguia no ar.


Sorria como quem dança.

E desfolhava ao dançar

o corpo, que lhe tremia

num ritmo que ele sabia

que os deuses devem usar.


E seguia o seu caminho,

porque era um deus que passava.

Alheio a tudo o que via

enleado na melodia

de uma flauta que tocava.

Eugénio de Andrade
in As Mãos e os Frutos
Imagem(C) Kathleen Noffsinger

20080603

Jardim da Lembrança


No jardim da lembrança,
Onde cultivo as flores
Da perpétua e alada primavera,
Nem a terra se cansa,
Nem desmaiam as cores,
Nem o pólen dos sonhos desespera.

Tudo ali permanece
Fiel ao devotado jardineiro,
Que na distância tece
O halo que merece
Cada rosa acordada no canteiro
Quando o dia das rosas amanhece.

Horto da infância entre areais adultos,
Há nele ainda a sombra de dois vultos
Que debruam de amor a pequena extensão
Desse mundo florido
Onde sempre feliz, tenho vivido,
Graças à graça da imaginação.

Miguel Torga
in Poesia Completa
Imagem(C)Klee, Remembramce of a Garden, 1914

20080601

A TODOS os meninos do mundo...


Que a vida lhes permita agarrar o sol. SEMPRE!
Imagem(C) Vladimir Kush