20080603

Jardim da Lembrança


No jardim da lembrança,
Onde cultivo as flores
Da perpétua e alada primavera,
Nem a terra se cansa,
Nem desmaiam as cores,
Nem o pólen dos sonhos desespera.

Tudo ali permanece
Fiel ao devotado jardineiro,
Que na distância tece
O halo que merece
Cada rosa acordada no canteiro
Quando o dia das rosas amanhece.

Horto da infância entre areais adultos,
Há nele ainda a sombra de dois vultos
Que debruam de amor a pequena extensão
Desse mundo florido
Onde sempre feliz, tenho vivido,
Graças à graça da imaginação.

Miguel Torga
in Poesia Completa
Imagem(C)Klee, Remembramce of a Garden, 1914

10 comentários:

Méon disse...

Tão bonito, Avelã!
O poema e a imagem vão encher de cor o nosso dia!
Obrigado

Ad astra disse...

A imaginação...sim é esta que ás vezes nos salva

Um beijo amoga e um bom dia

papagueno disse...

Eu nunca me esqueço.
Como consegues sempre trazer belas imagens para aqui.
Bjks

avelaneiraflorida disse...

Méon,

e que essa partilha seja uma imensa ALEGRIA!!!

avelaneiraflorida disse...

Querida AD ASTRA,

mas há momentos ...em que nem mesmo a imaginação nos ajuda!!!!
Mas não percamos a esperança!!!!

bjkas!

avelaneiraflorida disse...

Amigo Papagueno,

nos dias que correm temos de pedir ajuda a toda a arte, beleza , imaginação, e tudo o mais!!!!!
Brigados pela presença!!!
Bjkas!!!

Multiolhares disse...

se pintarmos a nossa vida de muitas cores, algumas vão estar sempre presentes
bj

Fatima disse...

Bonita imagem e excelente poema, como só Torga sabe escrever.....

avelaneiraflorida disse...

Multiolhares,

e a nossa vida será uma imensa paleta de sentires...

bjkas!

avelaneiraflorida disse...

Querida Fátima,

Torga será sempre o meu poeta!!!!!

Brigados pela presença!!!!

Bjkas!!