20070814

[(Sobre a água)]


( Sobre a água)

um deus espreita

o mundo

eterniza a dúvida

num corredor de luz

um nome é soletrado

devagar

como a paixão as

cinzas são recolhidas

num copo de cristal

germinam as sementes e

toda a terra estala

corpo de sílabas

incessantemente a arder


José de Sainz-Trueva, (inédito)

in Pontos Luminosos Açores e Madeira

Antologia de Poesia do Século XX
Imagem pesquisa Google

2 comentários:

Sam Well disse...

A tua água, fonte da tua VIDA!
Vim aqui molhar os pés...

avelaneiraflorida disse...

Sim, a minha gota dos dias...