20070815

VI





Sei lá se há estrelas!

Daqui não as vejo.

Qualquer dia hei-de ir vê-las

ao rio Tejo.


Não no céu tão longe e incerto

onde a custo as descobrimos,

mas a brilharem mais perto

nas águas de treva e limos.


Só assim desse modo

consigo entendê-las.

Caídas no lodo

é que são estrelas.


José Gomes Ferreira,

in CAFÉ Poesia III

Imagem(C) Alessandro Beltrano

10 comentários:

André L. Soares disse...

Bom dia! Belo poema esse do José Gomes Ferreira. Gostei muito, pois remete à valorização do simples. Um abraço!

avelaneiraflorida disse...

André,

JGFerreira tem sido meu companheiro ao longo de muitas horas da minha vida...
Hoje senti vontade de o revisitar...
Um Bom dia Também para TI!
Bjks

minds disse...

Mas olha k nestes ultimos dias tem havido chuva de estrelas...

lol

bj e muito boa escolha!!!

Paulo Sempre disse...

Essas estrelas a meio da noite....
Abraço
Paulo

avelaneiraflorida disse...

minds,

obrigada pela presença!!!!
e por me fazeres rir...
"BRIGADOS"
Bjks

avelaneiraflorida disse...

paulo sempre,

Obrigado pela visita!!!!

As estrelas são importantes para nos iluminar a vida...
Volte sempre!!!!

Ema Pires disse...

Olá,
Lindo poema e magnífica imagem.
Beijinhos

papagueno disse...

O que seria da noite sem as estrelas.
Lindo este poema do JGF.
Beijinhos

avelaneiraflorida disse...

Amiga Ema,
que bom ter-te aqui de volta!!!!
Espero que tenham sido boas férias!!!
Bjks

avelaneiraflorida disse...

Papgueno,
Há noites em que temos de ser nós a inventá-las...
Ainda bem que os poetas no-las trazem...

Bjks