20070830

Se me puderes ouvir



O poder ainda puro das tuas mãos

é mesmo agora o que mais me comove

descobrem devagar um destino que passa

e não passa por aqui



à mesa do café trocamos palavras

que trazem harmonias

tantas vezes negadas:

aquilo que nem ao vento sequer

segredamos



mas se hoje me puderes ouvir

recomeça, medita numa viagem longa

ou num amor

talvez o mais belo

José Tolentino de Mendonça,

in A Noite Abre Meus Olhos

11 comentários:

E.Adriano disse...

Talvez o mais belo....



Parabéns pela escolha da foto e pelo poema.



Cumprimentos

Vieira Calado disse...

José Tolentino de Mendonça!
há quanto tempo não ouvir falar dele.
Ainda bem que há quem o relembre e nos faça relembrar.
Bom fim de semana.

Vieira Calado disse...

Penso que. inadvertidamente, terei posto Miranda. Se foi, foi lapsus linguae.

avelaneiraflorida disse...

e. adriano,

os poetas são mensageiros...façamos uso dos seus préstimos!!!

Um Resto de BOA NOITE!!!

avelaneiraflorida disse...

Vieira Calado,

este poeta , que descobri recentemente, tem uma colectânea muito interessante:
A NOite Abre meus Olhos, publicada pela Assírio e Alvim!!!!
Vale a pena!!!

UMA BOA NOITE!!!!

Carminda Pinho disse...

Bela partilha.
Obrigada.
Bjs

papagueno disse...

Não sei se me podes ouvir, mas concerteza me podes ler, e é muito bonito.
Beijos.

avelaneiraflorida disse...

Carminda,

Bem vinda...
Tudo o que aqui encontrar é para os meus Amigos...
VOlte sempre!!!!

avelaneiraflorida disse...

papagueno,

precisamos apenas...sentir!

Bjks

Ribeiro M Afonso disse...

Versos tão intensamente verdadeiros...

avelaneiraflorida disse...

R.M.A.

...porque vividos!!!!