20070831

Musa Ausente


Falta a luz dos teus olhos na paisagem:

O oiro dos restolhos não fulgura,

Os caminhos tropeçam, á procura

Da recta claridade dos teus passos.

Os horizontes, baços,

Muram a tua ausência.

Sem transparência,

O mesmo rio que te reflectiu

Afoga, agora, o teu perfil perdido.

Por te não ver, a vida anoiteceu

À hora em que teria amanhecido...


Miguel Torga,
in Poesia Completa

4 comentários:

veritas disse...

Somos assim sem aqueles que nos fazem sentir a bondade, a beleza, a verdade daquilo que deve ser a vida...

Bjs. Bom fim-de-semana.

avelaneiraflorida disse...

Veritas,
somos assim quando na vida se cavam ausências...que o tempo tem de atenuar!!!

UM BOM FIM DE SEMANA, TAMBÈM!
Bjks

Maria disse...

Grande Miguel Torga no melhor do seu sentir...

avelaneiraflorida disse...

Maria,

Tens toda a razão...

O sentir...

UM BOM FIM DE SEMANA!!!
Bjks