20070614

Trapézio


Contamos segundos
Instantes escassos
Caímos mil vezes
Seguidas de abraços;
A dança é divina
Ela vive no ar
Ela voa sem asas
Não quer aterrar
É bom arriscar o salto,
Planar,
Sentir de novo emoção...
É tão bom
Saber que a morte
É falhar
Voar de encontro à tua mão
Aqui, no trapézio,
a rede é distante
O meu horizonte
É um braço errante;
Despimos as horas
Perdidos no espaço,
Entre o rugir de um leão
E o choro de um palhaço
É bom arriscar o salto,
Planar,
Sentir de novo emoção...
É tão bom
Saber que a morte
É falhar
Voar de encontro à tua mão
Letra: Jorge Palma
Imagem (C) M. Chagall

10 comentários:

Blondie disse...

Que engraçado Avelaneira!
Mal li a palavra trapézio veio logo à minha mente o poema de Sá Carneiro sobre o menino no baloiço... sobre a fragilidade da condição humana.
O trapézio transmite-me isso mesmo, insegurança, angústica, incerteza.

Beijocas

avelaneiraflorida disse...

Ou então o voo imenso...ou a queda na rede, as mais das vezes!!!

O baloiço de Sá-Carneiro é menos arriscado, apesar de tudo!!! tem toda a inocência da infância!!!!

Bjks, Blondie!

Jorge disse...

Bela imagem.

avelaneiraflorida disse...

Chagall tem um mundo muito especial!!!

E umas cores maravilhosas!!!!

inês leal, 31 anos à volta do sol disse...

chagall e jorge palma...!**

avelaneiraflorida disse...

Pois... Inês, apeteceu-me fazer essa ligação!!!
Dois mundos aparentemente opostos... mas que, na realidade,podem estar muito perto!!!

JMD disse...

Hoje já voei no teu trapézio!
Bom dia!

avelaneiraflorida disse...

Bom Dia!!!!

O trapézio voa e faz voar!!!
Como o sonho...

papagueno disse...

lindo! Um dos meus ídolos, aliás dá para ver pelo nome do meu blog.
beijinhios

avelaneiraflorida disse...

Um músico que comecei por estranhar...mas que rapidamente se foi "entranhando"!!!!

Hoje é um dos que muito gosto, também!!!
E óbviamente não apenas pelo "Bairro do Amor"... como se prova, junto!!