20070615

Tivesse eu os tecidos bordados dos céus,
Lavrados com a prata e o ouro da luz,
Os tecidos azuis e foscos de breu
Que têm a noite, a luz e a meia-luz
Estenderia esses tecidos a teus pés:
Mas eu porque sou pobre, apenas tenho sonhos;
São os meus sonhos que eu estendi a teus pés;
Sê suave no pisar que pisas os meus sonhos.

William Butler Yeats, (trad. de Joaquim Magalhães)
Imagem (C) E. Burne-Jones

6 comentários:

inês leal, 31 anos à volta do sol disse...

"Mas eu porque sou pobre, apenas tenho sonhos;
São os meus sonhos que eu estendi a teus pés;
Sê suave no pisar que pisas os meus sonhos."

maravilha...***

avelaneiraflorida disse...

Sim, porque nem sempre os sonhos se disponibilizam!

Sam Well disse...

Há poemas tão belos que quase nos sufocam de emoção...
Apetece apenas o silêncio.

avelaneiraflorida disse...

Yeats é um caso especial...

Em inglês ainda é mais bonito, mas esta tradução também não o deslustra!!!

MariaFaia disse...

Simplesmente lindo.

Gostei de passar por aqui.

avelaneiraflorida disse...

mariafaia

Obrigada pela presença.Volte sempre!