20070617

retrato


No teu rosto começa a madrugada.
Luz abrindo,
de rosa em rosa,
transparente e molhada.

Melodia
distante mas segura;
irrompendo da terra,
quente, redonda, madura.

Mar imenso,
praia deserta, horizontal e calma.
Sabor agreste.
Rosto da minha alma.

Eugénio de Andrade, Os Amantes sem Dinheiro

4 comentários:

JMD disse...

Colecciono poemas "irresistíveis". Mas a obra é tão grande que há sempre coisas novas. Como este, na manhã que se ilumina ou acinzenta, nesta luta entre o sol e a chuva...
Bom dia!

avelaneiraflorida disse...

BOM DIA!!!!

Eugènio de Andrade...está-me "cá dentro"!!!! Sempre que posso vou buscá-lo...

Ema Pires disse...

Lindo poema e magnífica imagem.
Um feliz domingo querida aveleneiraflorida.
Aqui hoje está a chover, mas chove bastante nesta regiao do norte de Espanha, por isso é tao verde e tao bonita e também... muito florida.

avelaneiraflorida disse...

Ainda bem que CHOVE!!!! a Natureza precisa de sentir a àgua...
Nòs, humanos,é que teimamos em não perceber...

Um BOM DOMINGO, Também para a EMA!!!