20070627

DESCALÇA VAI PARA A FONTE...


Descalça vai para a fonte

Leonor pela verdura:

Vai formosa e não segura.


Se tivesse umas chinelas

iria melhor...mas não:

co dinheiro das chinelas

compra um pouco mais de pão.

Virá o dia em que os pés

não sintam a terra dura?

Leonor sonha de mais:

vai formosa e não segura.


Formosa! Não vale a pena

ter nos olhos uma aurora

quando na vida - que vida!

o sol já se foi embora.

Se os filhos se alimentassem

com a sua formosura...

Leonor pensa de mais

vai formosa e não segura.


Há verduras pelos prados,

há verduras no caminho;

no olmo ao pé da fonte

canta livre um passarinho,

Mas ela não canta, não,

que a voz perdeu a doçura.

Leonor sofre demais:

vai formosa e não segura.


Porque sofre? Nunca soube

nem saberá a razão.

Vai encher a talha de água,

Só não enche o coração.

Virá um dia...virá...

Os olhos voam na altura

Leonor não anda: sonha.

Vai formosa e não segura.


António Cabral, Poemas Durienses
Imagem (C) Mariana Fernandez

10 comentários:

Sam Well disse...

Esta é uma bela glosa ao poema de Camões, cantada pelo Francisco Fanhais ( tinha o vinil e há anos encontrei o CD. Tem-lo? Se quiseres...)

Bonito começo desta manhã de Junho, o mês das madrugadas luminosas...

avelaneiraflorida disse...

Não fazia a mínima ideia!!!!

Há quantos anos.......não ouço Fanhais!!!!!

Desde os tempos de liceu, nas aulas de MORAL, com uma excelente PROFESSORA!!!!

Que em vez da dita "moral" nos dava Fanhais, Zeca Afonso, Adriano....

Que surpresa BOA!

Blondie disse...

Não conhecia esta versão! Muito gira... não te importas que faça copy/paste?
Eu conheço uma versão´bastante cómica, da qual já não me lembro muito bem... mas era qualquer coisa como "de lambreta vai a Leonor". Esta versão estava no meu livro de Português, de um nao qualquer.
Ui como anda a minha memória :O
Beijocas

avelaneiraflorida disse...

Há uma versão de "lambreta" sim "sinhora DONA BLONDIE"

é do António Gedeão...posso deixá-la aqui!!!!

Claro que não me importo...o que aqui deixo É para os MEUS AMIGOS!!!
Bjks

papagueno disse...

Por isso é que as minhas aulas de moral eram tão chatas, faltava o Zeca, o Adriano e o Fanhais.
E ainda hoje há tantas Leonores por aí...
Beijinhos.

avelaneiraflorida disse...

é verdade, papagueno!!!!
Hoje são leonores de muitos nomes...

Eu tive uma sorte muito grande em ter tido aquela PROFESSORA! Nunca me esquecerei dela...

Anónimo disse...

Saudo o autor deste blog que estive a ver detalhadamente.Gostava de colocar na minha página do "multiply" os versos do Zeca Afonso,inspirado nos imortais versos de Camões. Poder-me-á facultar esse desejo?Pode ver o meu modesto blog na seguinte página da net : http//cuanhama.multiply.com. Se procurar no google em "cuanhama" o meu site aparece como "cantinho do Joanes"

Avelaneira Florida disse...

Claro que o poderá fazer!!!!
Zeca Afonso é o poeta de TODOS nós!!!!

entretanto, como já reparou, não estou neste cantinho mas sim num outro:
oscantaresdeamigo.blogspot.com
mas já fiz uma visita ao seu espaço que achei muito interessante, e ao qual espero voltar.
Ainda tentei deixar um comentário mas como não estou registada nesse multiply...acabei por não o fazer!!!
Um resto de boa tarde!

avelaneiraflorida disse...

Só uma rectificação:

o poema não é cantado por Zeca Afonso, mas sim por Francisco Fanhais, se é a este que se está a referir do post que aqui deixei!!!

O autor da letra, como assinalo, é António Cabral.
mais uma vez, Volte sempre!!!!

Anónimo disse...

Inicialmente a letra é um poema do Luis de Camões, 'Cantiga'