20070618

Balada para os poetas andaluzes de hoje


Que cantam os poetas andaluzes de agora?


Que olham os poetas andaluzes de agora?


Que sentem os poetas andaluzes de agora?




Cantam com voz de homem, - mas onde estão os homens?


Com olhos de homem olham, - mas onde estão os homens?


Com peito de homem sentem, - mas onde estão os homens?




Cantam e quando cantam parece que estão sós.


Olham e quando olham parece que estão sós.


Sentem e quando sentem parece que estão sós.




Será que a Andaluzia está já sem ninguém?


Nos montes andaluzes não haverá ninguém?


Nos mares e campos andaluzes não haverá ninguém?




Não haverá quem responda à voz do poeta?


Que olhe o coração sem muros do poeta?


Tantas coisas morreram que não há mais que o poeta




Cantai alto.Ouvireis que ouvem mais ouvidos.


Olhai alto.Vereis que olham outros olhos.


Pulsai alto. Sabereis que palpita um outro sangue.




Não é mais fundo o poeta em seu subsolo escuro


encerrado. Seu canto ascende mais profundo


quando, aberto, no ar, é de todos os homens.
Rafael Alberti

8 comentários:

Sam Well disse...

Poema (que nos habtumos a ouvir cantado) lindíssimo!
Bom dia!

avelaneiraflorida disse...

Sim, fazia parte do disco, em vinil, Poetas Andaluces de Ahora, do grupo AguaViva...

inês leal, 31 anos à volta do sol disse...

"o coração sem muros do poeta"

***

avelaneiraflorida disse...

Sem muros...sem grades...LIVRE SEMPRE!

papagueno disse...

Curioso que tenho procurado essa música pela net e não a consigo encontrar. Quantas vezes eu ouvi essa canção quando era miúdo.
Beijinhos

avelaneiraflorida disse...

A net anda zangada comigo...mas hei-de procurar!!!

Ema Pires disse...

Poema lindo e a música também é magnífica.
Bjos

avelaneiraflorida disse...

Sim,faz parte das minhas memórias!
Hoje acordei a ouvi-la
"cá dentro"!!!!

Bjkas, Ema!