20080210

NON


Terrível palavra é um Non. Não tem direito nem avesso: por qualquer lado que o tomeis, sempre soa e diz o mesmo. Lede-o do princípio para o fim, ou do fim para o princípio, sempre é Non. Quando a vara de Moisés se converteu naquela serpente tão feroz, que fugia dela porque o não mordesse; disse-lhe Deus que a tomasse ao revés, e logo perdeu a figura, a ferocidade e a peçonha. O Non não é assim: por qualquer parte que o tomeis sempre é serpente, sempre morde, sempre fere, sempre leva o veneno consigo. Mata a esperança, que é o último remédio que deixou a natureza a todos os males. Não há correctivo que o modere, nem arte que o abrande, nem lisonja que o adoce. Por mais que confeiteis um não sempre amarga; por mais que enfeiteis sempre é feio; por mais que o doureis sempre é de ferro.

[…]

Porque dizer um não a quem pede, é dar-lhe uma bofetada com a língua. Tão dura, tão áspera, tão injuriosa palavra é um não. Para a necessidade dura, para a honra afrontosa, e para o merecimento insofrível.E se um Não é tão duro para quem o ouve, creio eu que não é menor a sua dureza para quem o diz; e tanto mais quanto mais generoso for o coração, e mais soberano o ânimo que o houver de pronunciar


[…]



Padre António Vieira
Sermão da Terceira Quarta-Feira da Quaresma,
1670
Fotografia(C) Gregory Colbert

10 comentários:

TINTA PERMANENTE disse...

Um bem apropositado propósito!...

abraços!

avelaneiraflorida disse...

Tinta permanente,


António Vieira foi, tão só, o "Imperador da Língua Portuguesa"!

Volta sempre!!

samuel disse...

E quantas vezes, àquelas coisas a que realmente devíamos dizer não, alto e bom som, não ligamos... deixamos passar...

Abreijo.

avelaneiraflorida disse...

Amigo Samuel,

Ainda acredito que saibamos dizer NÂO!!!!
Nem que seja a última palavra...
BJKAS!!

Carminda Pinho disse...

Olá amiga!
Gostei de ler o Padre António Vieira.
Quanto ao dizer "não", penso que por vezes, dizê-lo nem que seja em pensamento, é a única forma de nos mantermos de pé.

Beijinhos

avelaneiraflorida disse...

Querida Carminda,

As palavras de Vieira têm sempre um contorno barroco que não me canso de admirar!!!

Bjkas!!!

Fátima disse...

Amiga avelaneiraflorida,

A palavra NAO é muito dura, por vezes deixa-nos sem chão!
Gostei do poema, fez-me reflectir.

:-) Beijinhos

avelaneiraflorida disse...

Querida Fátima,
de cada vez que leio este excerto recordo a belíssima imagem do filme "NON, ou a Vã Glõria de mandar" de Manuel de Oliveira...

aquele plano inicial em torno da copa da árvore ainda me arrepia!!!!
Bjkas!!!!

Jose Gonçalves disse...

Este sermão é lindíssimo mas o não por vezes é enganador, ou não?
Um beijinho
José Gonçalves

avelaneiraflorida disse...

Assim, neste excerto, ele tem um peso que no conjunto do Sermão ganha novos contornos!!!!

vale a pena ler António Vieira!!!!
Pode parecer estranho, desactualizado, barroco, mas...

Bjkas, amigo!!!