20080207

Memória


[...]


Deixei-te no meio da sala,

por entre as cortinas de resignação

e sonho. Ninguém as puxou por nós; e

continuo sem saber se ainda ali estás,

ouvindo os pássaros que cantam no quintal,

anunciando a noite que

não cai.


Nuno Júdice
in Geometria Variável
Pintura (C) Diego Rivera

8 comentários:

Fátima disse...

Amiga avelaneiraflorida,

Lindissímo! Adorei!
Obrigada

:-) Beijinhos

avelaneiraflorida disse...

Querida Fátima,

há memórias que são imperdíveis...

Bjkas!!!!

Victor disse...

Querida AvelaneiraFlorida
Sublime partilha. Sempre bom ler o que publicas.
Beijinhos.

Ad astra disse...

é minha amiga Nuno Judice escreve coisas lindas

Um beijo para ti

avelaneiraflorida disse...

Amigo Victor,

escolhemos as palavras dos poetas ao sabor dos dias!!!

Bjkas!

avelaneiraflorida disse...

Querida Ad Astra,


Nuno Júdice tem uma poesia que encanta pela simplicidade...

bjkas!!!

Ni disse...

Memórias eternas... sempre actuais... sempre soltas ao sabor do canto da noite.

avelaneiraflorida disse...

Querida Ni,

e na noite nos deixamos ir...

Bjkas!!