20080102

Novos dizeres...


Está de pé sobre as brancas dunas. As ondas conduziram-na

e os ventos empurraram-na. Está ali, na perfeição redonda

da oferenda.E como que adormece no esplendor sereno.

Diz luz porque diz agora e és tu e sou eu, num círculo

só. Está embriagada de ar como uma forte lâmpada.


É uma área de equilibrio, de movimentos flexíveis,

um repouso incendiado, a vitória de uma pedra.

Abrem-se fundas águas e um novo fogo aparece.

Que lentas são as folhas largas e as areias!

Que denso é este corpo, esta lua de argila!


Nua como uma pedra ardente, mais do que uma promessa

fulgurante, a amorosa presença de uma mulher feliz.

Nela dormem os pássaros, dormem os nomes puros.

Agora crepita a noite, as línguas que circulam.

Crescem,crescem os músculos da mais íntima distância.


António Ramos Rosa
Imagem obtida em Google Images

4 comentários:

Méon disse...

Poema tão intenso!
Algo se descreve. Algo que tem a ver com a intensidade do sentir.
O sentir de uma mulher feliz!

A R Rosa é sempre luminoso!
Obrigado, Avelã!

avelaneiraflorida disse...

Méon,

A R Rosa é um poeta da diferença!

O sentir e a luz em proporções intensas!!!
Mas de uma forma real...que se vai aprendendo a admirar!!!

oceanus disse...

Desconhecia este poema, mas sem dúvida que tem palavras fortes e intensas. Sentimos a força do vento ...

Ah! Mas que neste Novo Ano sintamos também a força da Paz, Felicidade, Amor e Amizade...Um muito FELIZ Ano Novo para ti do fundo do Oceanus

bjs

avelaneiraflorida disse...

Oceanus,


A R Rosa é um mundo a descobrir! Vale a pena entrar nele!!!!
Agradeço e retribuo os teus VOTOS!!!!!!

Bjkas!!!!