20080116

no dia...


Só a Natureza é divina, e ela não é divina...


Se às vezes falo dela como um ente

É que para falar dela preciso usar de linguagem dos homens

Que dá personalidade às cousas,

E impõe nome às cousas.


Mas as cousas não têm nome nem personalidade:

Existem, e o céu é grande e a terra larga,

E o nosso coração do tamanho de um punho fechado...


Bem dito seja eu por tudo quanto não sei.

É isso tudo que verdadeiramente sou.

Gozo tudo isso como quem sabe que há o sol.


Alberto Caeiro
Poesia
Imagem(C) Rembrandt

20 comentários:

Estrellinha disse...

Engraçado!

Li este poema no 10º ano e gosto bastante da terminação dele.
"Bem dito seja eu por tudo quanto não sei".
Aprender até morrer, lutar até ao fim, não desistir apesar dos erros e das mágoas.
Lindo!

Méon disse...

Sim, há sol, mesmo quando não há sol...

Maria disse...

Felizmente há sempre mais coisas entre o céu e a terra... como o poeta e o artista reunidos e a beleza encontrada. Sim, há o sol.

Um beijinho.

Sophiamar disse...

Dás-me seiva de vida em cada poema que aqui trazes. Gosto deste mundo onírico onde me embrenho e voo até ao infinito. Obrigada por me proporcionares estes momentos de prazer.

Beijinhosssssss

Ni disse...

Saber que há sol é a primeira oportunidade para poder sentir mundo do coração na mão... e ser o que verdadeiramente somos.

Maria disse...

..."Bem dito seja eu por tudo quanto não sei.
É isso tudo que verdadeiramente sou.
Gozo tudo isso como quem sabe que há o sol."

É uma beleza, este poema...
é tudo isso que provavelmente somos.....

Beijos

SILÊNCIO CULPADO disse...

Avelaneiraflorida
Sinto sempre um arripio de emoção quando leio Alberto Caeiro.
Estas coisas evidentes e simples que o dia a dia despreza mas que são a essencia da nossa alma e a razão da nossa vida.
Porque, por maior que achemos que é o nosso coração, ele é tamanho dum punho fechado.
A felicidade, é o prazer dos simples que não vêem as implicações das coisas.

Amiga, que bom ler-te.

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá Amiga Aveleira Florida, lindo poema de tocar o coração e deixar a alma com muita PAZ.
Beijinhos de ternura.
Fernandinha

Luís Galego disse...

hoje mesmo ao final da tarde tive oportunidade de ouvir dizer Pessoa por um dos antigos alunos de Germana Tânger...que viva a poesia pessoa e afins...

avelaneiraflorida disse...

Querida Estrellinha,

e que seja a vida um contínuo Aprender!!!!

Bjkas, amiga!!!

avelaneiraflorida disse...

Méon,

e que o sol brilhe...
bem precisamos!!!!!

avelaneiraflorida disse...

Querida Maria,

e quando o não houver...que o possamos inventar!!!!

bjkas!!!

avelaneiraflorida disse...

Querida Sophiamar,

são as palavras dos poetas!!!!

eles sabem como nós precisamos delas!!!

Bjkas, amiga!!!

avelaneiraflorida disse...

Querida ni,

e aquilo que sentimos....e aquilo que sonhamos...

Bjkas!!!!

avelaneiraflorida disse...

Amiga Maria,


e decerto que na ilha...estas palvars têm mais peso...e são mais sentidas!!!!

Bjkas, amiga!!

avelaneiraflorida disse...

Querida Lídia/Silêncio Culpado

e somos apenas um grãozinho no Universo...

bjkas, amiga!!!

avelaneiraflorida disse...

Amiga Fernandinha,

Alberto Caeiro é , para mim, o mais apelativo dos heterónimos de Pessoa!!!!
com ele a emoção é bem sentida!!!!
Bjkas!!!

avelaneiraflorida disse...

Caro Luís,

lembro-me da voz de Germana Tânger...Incrível esta lembrança!!!!
Escutava-a na rádio...era um privilégio de que não tinha a noção naquela altura!!!

Que viva a POESIA!!!!

papagueno disse...

Se a natureza não é divina devia pelo menos ser sagrada para nós não a podermos estragar.
Bjks

avelaneiraflorida disse...

Ah, sim !!!!

mas...amigo Papagueno, mas o ser humano não merece ter uma mãe natureza tão maravilhosa!!!!
è mesmo um "filho desnaturado"!!!!

Bjkas!!!!