20080325

Canção


Que saia a última estrela

da avareza da noite

e a esperança venha arder

venha arder em nosso peito


E saiam também os rios

da paciência da terra

É no mar que a aventura

tem as margens que merece


E saiam todos os sóis

que apodreceram no céu

dos que não quiseram ver

- mas que saiam de joelhos


E das mãos que saiam gestos

de pura transformação

Entre o real e o sonho

seremos nós a vertigem


Alexandre O'Neill
Imagem (C)C)galeriart.net

6 comentários:

Méon disse...

Magnífico!
...a vertigem...
Dia bom!

papagueno disse...

Entre o real e o sonho sou eu que tenho vertigens. belas e sábias palavras do grande O'Neill.
beijos

avelaneiraflorida disse...

Méon,

Que a vertigem continue a ser o outro lado do sonho!!!
DIA BOM, PARA TI,TAMBÈM!!!

avelaneiraflorida disse...

Amigo Papagueno,

Não deixemos de sonhar...nunca!!!
Bjkas!!

veritas disse...

Obrigada por partilhares, obrigada pelas recordações...

Bjs. Boa semana.

avelaneiraflorida disse...

Querida Veritas,

"BRIGADOS" pela presença...
Bjkas!!!!