20080522

Na madrugada...




Só eu sei quanto me dói a separação!

Na minha nostalgia fico desterrado

À míngua de encontrar consolação.

À pena no papel não é dado

Sem que a lágrima trace, caindo teimosa,

Linhas de amor na página da face.

Se o meu grande orgulho não obstasse

Iria ver-te à noite: orvalho apaixonado

De visita às pétalas da rosa.


Al-Mu'tamid
(Beja, séc. XI)

Trad. de Adalberto Alves
in O Meu Coração é Árabe
Imagem(C) R.C.GORMAN

6 comentários:

papagueno disse...

belo poema de uma época em que a cultura árabe até era mais rica e tolerante que a cristã. Como os tempos mudam.
Bjks

avelaneiraflorida disse...

Amigo Papagueno,

pois...até "varreram" os àrabes durante muito tempo da nossa História!!!!
como se nunca tivessem estado por aqui!!!!
Felizmente os seus vestígios gritam "mouro me fez"!!!!!
Que eles sejam testemunho dessas memórias!!!!

bjkas!!

Méon disse...

Poema tao bonito!
Nao fosse a nostalgia, essa dolorosa saudade...

Mas há sempre um depois...

E a princesa árabe reencontrou o amado!
Bj

avelaneiraflorida disse...

Méon,

Pois que o poeta encontre encontre as palavras, também!!!!
E haverá um SEMPRE!!!

Ad astra disse...

cá está uma revelação para mim
surpresa boa

avelaneiraflorida disse...

Querida Ad Astra,

O meu gosto pela poesia árabe deve-se a um professor da faculdade que muito admiro...o Prof.Dr.Borges Coelho!!!!
Foi ele que me despertou o interesse para estes autores...