20080527

Canção


Se tu ouvisses

o loendro amargo chorar,

que farias, meu amor?

Suspirar!


Se tu sentisses a luz

chamar-te quando se vai,

que farias, meu amor?

Lembrar-me-ia do mar.


Se eu um dia te dissesse

- amo-te - no meu olival,

que farias, meu amor?

Cravaria este punhal!


Eugénio de Andrade,
in Poemas de Garcia Lorca
Imagem (C) Vladimir Kush

10 comentários:

Ad astra disse...

tão bonito...assim mesmo


Um bom dia para ti

avelaneiraflorida disse...

Querida AD ASTRA,

e a poesia pode encher o dia de outra luminosidade!!!!

Bjkas!!

Multiolhares disse...

São sentires , são quereres,
Amor feito poesia
bj

António Inglês disse...

Amiga Avelaneira

Cá venho desejar-lhe uma semana excelente.
Não se zangue comigo por andar menos vezes por aqui, mas há razões que a razão desconhece.
Um abraço
António

avelaneiraflorida disse...

Multiolhares,

e da poesia...se faz, também, o Amor!!!!

bjkas!!

avelaneiraflorida disse...

Amigo António,

Por favor, não precisa justificar!!!!
Andamos todos com tempo sem tempo por variadas razões...
muitas vezes visitamos os outros cantinhos em silêncio...mas procuramo-los para saber como estão os Amigos...
Volte SEMPRE!!!!

bjkas

Méon disse...

E eu volto SEMPRE!
Hoje... amanhã... S E M P R E !!!

avelaneiraflorida disse...

Méon,

E eu ACREDITO QUE SIM!!!

papagueno disse...

Que linda canção. Eugénio e Lorca, excelente conjugação.
Bjks

avelaneiraflorida disse...

Amigo Papagueno,

Dois Génios da palavra e da emoção!!!
De facto!

bjkas!!!