20071226

nos dias...


[...]

Ah, a nossa rede

tão sede e tão mágoa...

Quem foi que a tirou

de dentro da água?

Que dedos inertes

e tão violentos,

secaram as ondas,

rasgaram os ventos,

e à terra , tão lisa

de amorosos laivos,

roubaram a viva

rede de outros lábios...


Raul de Carvalho
in Poesia
Imagem (C) Giancarlo Meccarelli

8 comentários:

Estrellinha disse...

Very good! ;) Feliz Natal! Bjs

avelaneiraflorida disse...

Amiga Estrellinha,

que seja UM BOM DIA!!!!!
Bjkas!!!!

Professorinha disse...

Que ser tornou o mundo tão triste?...

Beijos

avelaneiraflorida disse...

Querida professorinha,

nenhum ser em especial...basta a vida!!!!

Mas temos de a viver!!!
Bjkas,Amiga!!!!

Jasmim disse...

Às vezes, em dias de luz perfeita e exacta

Às vezes, em dias de luz perfeita e exacta,
Em que as coisas têm toda a realidade que podem ter,
Pergunto a mim próprio devagar
Porque sequer atribuo eu
Beleza às coisas.

Uma flor acaso tem beleza?
Tem beleza acaso um fruto?
Não: têm cor e forma
E existência apenas.
A beleza é o nome de qualquer coisa que não existe
Que eu dou às coisas em troca do agrado que me dão.
Não significa nada.
Então porque digo eu das coisas: são belas?

Sim, mesmo a mim, que vivo só de viver,
Invisíveis, vêm ter comigo as mentiras dos homens
Perante as coisas,
Perante as coisas que simplesmente existem.

Que difícil ser próprio e não ser senão o visível!

Alberto Caeiro
Bom ano
querida Avelaneira

papagueno disse...

Gostei do poema mas a imagem está excelente.
Bjks

avelaneiraflorida disse...

Querida Jasmim,

"Brigados" pelo Alberto Caeiro (mesmo o que eu prefiro...dos três!)

Acho que vai "saltar" daqui...
Tudo de BOM, também para ti!!!!
Bjkas, Amiga!!!!

avelaneiraflorida disse...

Amigo Papagueno,

G.Meccarelli é brasileiro e descobri-o recentemente...

Podes seguir a pista...
Bjkas, Amigo!!!