20070524

Sotaque da terra







Estas pedras
sonham ser casa






sei
porque falo
a língua do chão


nascida
na véspera de mim
minha voz
ficou cativa do mundo,
pegada nas areias do Índico


agora,
ouço em mim
o sotaque da terra

e choro
com as pedras
a demora de subirem ao sol

in Mia Couto, Raíz de Orvalho e Outros Poemas
Ilustração (C) Danuta wojciechowska

4 comentários:

Sam Well disse...

Tão bonito, Avelã!
Não conheço a poesia do Mia Couto. Outro território a explorar...
Bjnh de BOM DIA!

avelaneiraflorida disse...

Uma falta Imperdoável!!!!!

Mas que se pode ...remediar!!!

BOM DIA também!!!!!!
Bj

papagueno disse...

Lindo este poema gosto da poesia africana, pode-se quase sentir o pulsar da terra.

avelaneiraflorida disse...

É verdade! Tem qualquer coisa de telúrico, de muito profundo, mesmo de "lá de dentro"...

Também é o menos triste da colectânea...