20070426

URGENTEMENTE


É urgente o amor.

É urgente um barco no mar.


É urgente destruir certas palavras,

ódio, solidão e crueldade,

alguns lamentos,

muitas espadas.


É urgente inventar alegria,

multiplicar os beijos, as searas

é urgente descobrir rosas e rios

e manhãs claras.


Cai o silêncio nos ombros e a luz

impura, até doer.

É urgente o amor, é urgente

permanecer


in Eugénio de Andrade, Até Amanhã

5 comentários:

Nómada disse...

Um dos poemas da minha vida!
Porque a vida... é urgente vivê-la! E sem amor não há vida!
Óbvio, claríssimo, mas tão difícil de entender...por muita gente.
Talvez porque não há nada tão exigente como o amor...

Ou, como li em W. Faulkner ("Palmeiras Bravas"): «O amor não acaba nunca. Nós é que muitas vezes nos tornamos indignos dele.»

avelaneiraflorida disse...

Nada é mais simples do que o amor!!!
Basta esquecer-mo-nos de nós e vivermos para os outros...
Sem nada em troca,sem interesses,sem exigências, pelo simples e único acto de dar...

Infelizmente o ser humano tem muita dificuldade em compreender
( e aceitar) os dados mais básicos!!!!!!

papagueno disse...

Parabéns é um dos poemas mais belos do Eugénio. Sempre urgente o amor.
Beijinhos

Maria disse...

Eugénio de Andrade no seu melhor. Lindo, um dos meus poemas de referência também. Um abraço.

avelaneiraflorida disse...

Eugénio de Andrade é algo que transcende a própria poesia!!!!

É um dos que mais aprecio...

"brigados" pela vossa partilha!