20070404

SUL


Deixo na marcha a marca doce
Dum passo alegre por voltar
Na outra margem, sou feliz
Invoco a Terra, campo em flor
Um mau olhado por Lisboa
Rio da sorte e maus caminhos
Linha entre a dúvida e o desejo
Pão tão dificil
Incerteza, d'amanhã
Vou no vapor da madrugada
A minha estrada vai prò Sul
Dá-me uma abraço d'encantar
Volto para o fundo dum olhar
Meiga paixão ao Sol do Estio
Rubra papoila fugidia
Encontro certo no trigal
Nada me prende, vou-me embora
Vou prò Sul...
in Vitorino, As Mais Bonitas

2 comentários:

Sam Well disse...

Como é que adivinhaste? Eu levei esta canção no bornal, mensagem profunda para os males da cidade, a busca de um Sul mítico e apaziguador.
Ah! E aquela gastronomia!!! As migas de espargos no Restaurante "A Maria", no Alandroal...

avelaneiraflorida disse...

Não vale fazer inveja!!!!!!

Continuamos "quaresmando"....

AH! mas umas migas com entrecosto, em Elvas, que estavam soberbas, e um pão de rala, e um pão a saber a Alentejo, e....