20081022

Neste final de mais um dia (aqui)...



A mão esquerda e a mão direita são talvez uma só

quando se corta a água em pedaços ou quando, acima do vazio,

tudo permanece inalterável.

Nos caminhos da música movem-se as sombras daquilo que se busca,

o que vive impassível entre o claro e o escuro,

entre o que se diz e o que se escuta,

entre o limite e a plenitude. Como

poderei explicar-me sem palavras,

como podem as palavras explicar-te?

A minha mão esquerda e a tua mão direita

são talvez uma só quando as envolve a ligadura da água

ou quando, injustamente, esquecemos toda

a inquietação.

Joaquim Pessoa
in À Mesa do Amor

Imagem(C)NamJunePaik
Studio Azzurro Immagini
Vive Electa 2005

4 comentários:

Méon, disse...

As mãos são a única forma de pôr em gesto as palavras urgentes...

Avelã: que nunca as mãos te doam para poderes continuar a partilhar aqui estas "coisas" tão bonitas...

amigona avó e a neta princesa disse...

Lindo, amiga...beijos...

avelaneiraflorida disse...

Méon,

e que as mãos continuem SEMPRE unas!!!!

beijinho.

avelaneiraflorida disse...

Querida Amigona,

Joaquim Pessoa dá-nos sempre palavras com o sabor do sentir!!!!

Bjkas!!!