20070228

Seta Poética...

Na entrada da Biblioteca-Museu República e Resistência,
na parede,
há uma caixa de papel com uma seta

que nos dá uma ordem: TIRE UM POEMA.

Como sou bem mandada, tirei.

A sorte bafejou-me com este:


Alegria da Criação
Plantei a semente da palavra
Antes da cheia matar meu gado
Ensinei ao meu filho a lavra e a colheita
num terreno ao lado
a palavra rompeu
Cresceu como a baleia
no silêncio da noite à lua cheia
Vi mudar estações
Soprar a ventania
Brilhar de novo o sol
sobre a baía
Fui um bom engenheiro
Um bom castor
Amei a minha amada
Com amor
De nada me arrependo
Só a vida
me ensinou a cantar
esta cantiga
JOSÉ AFONSO

2 comentários:

JMD disse...

Que bonito!
Já agora: estive à porta desse Museu no fim-de-semana, mas estava fechado´. Hei-de lá entrar, e tirar um poema.
Aqui vai o que te disse há dias: o endereço de um blogue feito por jovens cientistas, dois deles de TV:
http://terraquegira.blogspot.com/

avelaneiraflorida disse...

Eu sou sempre (!!!!) bem mandada como podes verificar por ti próprio!

Só não aceito ÓScares!!!!!