20070214

IMPRESCINDÍVEL


Como escrita que se derrama por nós em direcção a outros espaços...

2 comentários:

J. Moedas Duarte disse...

Como água que corre... Como a vida que passa...
Tenho saudades do tempo em que li Yourcenar pela primeira vez. Ah! O prazer das descobertas!...

avelaneiraflorida disse...

Pois, sobretudo porque em qualquer momento as escolhas são aleatórias, como águas correntes, seguindo diferentes regueiras...
E, um dia, não é que as voltamos a encontrar lá mais à frente?!!!
Regressar a Yourcenar é sempre um caminho diferente.Mesmo tendo lido, ao reler é tudo novo...